Arquivo do autor:Rucker Vieira

Sobre Rucker Vieira

O título do Concurso é uma homenagem ao fotógrafo-cineasta pernambucano Rucker Vieira – nome de referência do cinema brasileiro –, que trabalhou na Fundação Joaquim Nabuco, como fotógrafo e cinegrafista, e foi, ao lado do cineasta Fernando Spencer/PE – diretor da Cinemateca da Fundaj durante 20 anos –, um dos principais estimuladores e inspiradores para a criação de espaços, acervos e atividades voltados para a pesquisa, estímulo e difusão cultural da Sétima Arte dentro da Fundaj. Rucker Vieira entrou para a história do cinema nacional, por ser o diretor de fotografia de Aruanda (1960), filme dirigido pelo paraibano Linduarte Noronha e um marco da nossa cinematografia, pela contribuição aos rumos estéticos do Cinema Novo. O filme também inaugurou o cinedocumentário no Brasil.” O concurso é destinado a selecionar e premiar dois projetos de documentário, a cada ano, visando gerar audiovisuais destinados à utilização como ferramenta em processos educacionais alinhados às diretrizes do Ministério da Educação e com vistas a estimular a produção independente de audiovisual do Brasil a partir de diversas vertentes para além da criação profissional, mas também colocadas por professores, estudantes, pesquisadores e interessados na produção audiovisual como forma de difusão do conhecimento. A Comissão Julgadora é composta por cinco integrantes, escolhidos a cada edição sendo 2/5 de fora do estado de Pernambuco, sendo: um membro representante da TV Brasil (EBC), um da área de Audiovisual da Fundação Joaquim Nabuco, ou indicado, e três especialistas nacionais com experiência comprovada na área, sendo dois representantes da sociedade civil. Em dez edições realizadas, foram inscritos cerca de 400 projetos, advindos das diversas regiões do país (de Norte a Sul), tendo sido selecionados e premiados 19 roteiros de documentários, sendo 14 deles já compilados em dois DVDs, que fazem parte da Coleção Rucker Vieira – volumes 1 e 2. Os cinco roteiros restantes, sendo três deles já produzidos, e os outros ainda em andamento, deverão fazer parte do volume 3 – em fase de estudo.

RESULTADO 12ª EDIÇÃO CONCURSO RUCKER VIEIRA

Foi realizada, no último dia 5/12/2016, a reunião da Comissão Julgadora da 12ª Edição do Concurso de Roteiros Rucker Vieira, promovido pela Fundação Joaquim Nabuco/Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte, através da Massangana Multimídia Produções, em parceria com a EBC/TV Brasil, tendo sido aclamados como vencedores os seguintes projetos:

Título: Alvorada.

Autor: Antônio Roberto Gonçalves Júnior (PR).

Sinopse: “Alvorada” é o nome da escola estadual onde Lumena é professora e diretora há 15 anos, na periferia de Campo Mourão, interior do Paraná. Essa comunidade e a história das pessoas que passam alí, por muitos motivos, são o sentido da vida de Lumena. Agora, o governo do Estado decretou que fechará a escola até o final de 2018 e Lumena começará uma empreitada para não deixar que isso aconteça. Mobilizando pais, alunos, professores e enfrentando as pessoas mais ricas da região, Lumena não vai deixar que desistam do “Alvorada”. O filme acompanha a luta dessa professora e dessa comunidade, retratando a história dessa mulher que se dispôs a confrontar o mundo conservador e sexista de sua cidade. Assim, Alvorada pretende lançar um olhar crítico sobre o ensino no Brasil, mas, sobretudo, falar de resistência e união, temas tão urgentes em tempos tão difíceis;

Título: Dona Maria.

Autora: Tábata Clarissa de Morais (PE).

Sinopse: Dona Maria é uma síntese do papel da mulher na educação básica brasileira. Nossa personagem dedicou sua vida ao ensino de uma pequena cidade do sertão da Bahia as margens do rio São Francisco. Rodelas é uma cidade de uma missão colonizadora capuchinha e que reúne misturadas as culturas branca, negra e indígena que formam nossa identidade nacional. Dona Maria, cujo marido era vaqueiro rodelense, chega a esta cidade em meados dos anos 70 com a incumbência de educar as crianças da cidade ao mesmo tempo que exerce seu papel de mãe e esposa. Mais de 40 anos depois ela vive na mesma cidade, cercada de ex-alunos e acompanha os passos da neta que escolheu a carreira de professora no ensino público. Hoje, após ter passado pelos cargos de diretora e secretária municipal de educação, Dona Maria é homenageada e uma das escolas do município recebe seu nome.

O corpo de jurados foi composto pelos seguintes integrantes: André Huchi Dib (André Dib) – pesquisador, curador, crítico de cinema e jornalista formado pela Universidade Federal de Pernambuco; Daniela Fernandes Alves (Daniela Fernandes) – formada em Produção Editorial/Comunicação Social, pós-graduada em Gestão Cultural, diretora do Fórum de Festivais – Fórum Nacional de Organizadores de Eventos Audiovisuais Brasileiros (2013/2016); Solange Souza Lima Moraes (Solange Lima) – formada em Cinema pela Universidade Federal da Bahia, produtora executiva de cinema; Anízio Lopes de Andrade Filho (Anízio Andrade) – Analista em Ciência e Tecnologia da Fundação Joaquim Nabuco, representante da Massangana Multimídia Produções; Cynthia Gomes Falcão Pereira (Cynthia Falcão) – documentarista, realizadora audiovisual com experiência em gestão e política audiovisual e Coordenadora da Massangana Multimídia Produções (MMP), da Fundação Joaquim Nabuco, que presidiu os trabalhos da referida comissão.

Foram inscritos 29 (vinte e nove) projetos, advindos de 9 Estados da União: AL – 1; SE – 1;  CE – 1; PB – 1; PE – 10; RJ – 6; SP – 5; PR – 3 e RS – 1.